obesidade

A obesidade pode não ser um peso para toda a vida

Obesidade

Ainda são muitas as pessoas que acreditam que é impossível recuperar a boa forma depois de atingirem o patamar da obesidade.

Para esta ideia, contribuiu, ao longo dos anos, a explanação de que existem pessoas com maior predisposição à doença devido a fatores genéticos.

Saiba como a obesidade pode deixar de ser uma realidade na sua vida.

A obesidade é, cada vez mais, um problema dos nossos tempos.

Estima-se que mais de dois mil milhões de pessoas no mundo estejam em sobrepeso e que, entre estas, os casos de obesidade e obesidade mórbida representem uma fatia percentual acentuada.

O estilo de vida sedentário, associado a uma alimentação pouco saudável – promovida pelas cadeias de fast-food e pelo próprio ritmo do mundo – faz com que sejam inúmeras as pessoas afetadas por este problema de peso.

Ao longo dos anos, estudos sobre esta doença concluíram que a alimentação, no entanto, não seria o único fator a incentivar a situação.

Na realidade, a genética e o metabolismo teriam, no que a isto diz respeito, um impacto fundamental.

A noção de que os genes poderiam estar relacionados com a obesidade, no entanto, levantou uma ideia bastante errónea sobre a forma como se deve lidar com este tipo de situação, promovendo a ideologia de que a obesidade seria uma condição crónica e que acompanharia o indivíduo para toda a vida.

A 1001 dietas sabe que não é assim! E é por isso mesmo que, hoje, decidimos consigo avançar para a resolução deste problema de saúde, apresentando as razões pelas quais a obesidade pode não ser um peso para toda a vida.

obesidade

1. O que é a obesidade?

A obesidade é uma doença que se manifesta pela acumulação excessiva de gordura no corpo, estando, por norma, associada a um consumo excessivo de calorias.

Este excesso calórico acontece quando as quantidades e tipo de comida ingerida não se adequam à atividade realizada, criando um descontrolo entre o número (elevado) de calorias ingeridas e o número (reduzido) de calorias perdidas nas atividades quotidianas.

Estudos revelaram, no entanto, que a propensão de algumas pessoas para acumular esta gordura no corpo era superior à de outras, dependendo de estas serem, ou não, portadoras do gene da obesidade (gene FTO).

Considera-se que uma pessoa está num estado pré-obeso quando o seu IMC é igual ou superior a 25.

Ainda assim, este sobrepeso não será considerado obesidade até que o IMC atinja os 30 (Obesidade de grau I), os 35 (Obesidade de grau II) ou os 40 ou superior (Obesidade Mórbida ou de grau III).

2. Deixar de ser obeso: uma escolha

Apesar de a genética estar claramente envolvida no momento de atingir um patamar de obesidade, estudos recentes comprovaram, igualmente, que os portadores do gene FTO reagem de forma tão positiva ao exercício físico e à dieta como as que não o são.

Assim, embora tenham maior propensão para ficarem em sobrepeso, estas pessoas não têm de viver com a doença até ao final das suas vidas, podendo optar por agir no sentido de recuperarem a sua forma e a sua saúde.

No momento de tomar a decisão de lutar contra a obesidade, é importante considerar alguns fatores além da imagem física.

Esta doença está, pois, associada a problemas graves de saúde, como a diabetes, o colesterol elevado, a hipertensão, a doença cardíaca, o AVC (Acidente Vascular Cerebral) e ainda o cancro.

Além destas condições físicas, o obeso sofre ainda, muitas vezes, de problemas psicológicos como a ansiedade, a depressão, a baixa autoestima e até o isolamento social.

3. Indo à luta

A adoção de novos hábitos é essencial para fazer frente à sua inimiga número 1: a obesidade.

Perder peso implica a adoção de hábitos e rotinas mais salutares, onde se incluem uma alimentação saudável e a prática quotidiana de exercício.

Pode começar nas coisas mais pequenas do seu dia-a-dia, como caminhar para o trabalho ou subir as escadas em vez de usar o elevador.

Todo o exercício físico conta! Aos poucos e poucos poderá começar a fazer caminhada e, quem sabe, até juntar-se a um ginásio perto de si ou contratar um personal trainer.

A alimentação deverá ser regrada. É muito importante, para perder peso, que consuma um número menor de calorias relativamente àquelas que perde.

Lembre-se, no entanto, de que tal deve ser feito com recurso a uma alimentação saudável e que isto não é, de todo, sinónimo de passar fome.

Qualquer uma das 1001 dietas que escolha deve garantir que o seu corpo recebe os nutrientes essenciais, para que tenha energia para enfrentar o seu dia.

Aposte numa alimentação variada e evite alimentos processados.

Em terceiro lugar, é importante que pense na água como a sua melhor amiga.

A hidratação do corpo é essencial para que consiga obter os resultados desejados, já que ajuda a regular o sistema digestivo, a acelerar o metabolismo e a limpar o seu organismo de toxinas.

Por fim, embora possa parecer-lhe estranho, o descanso é outro dos melhores amigos da dieta do obeso.

Dormir bem é muito importante para manter o seu organismo em perfeito funcionamento. Procure dormir 8 horas por dia.

Sofre de obesidade? Acredita que é possível perder peso e viver uma vida mais saudável? Conte-nos sobre a sua dieta e a forma como esta está a ajudá-lo a viver melhor.

Algumas fontes: lifestyle.sapo  saude.umcomo   roche  observador

No Responses

Write a response