radicais livres

Radicais livres: o que são e como combatê-los

Os radicais livres são responsáveis pelo stress oxidativo e podem ser geradores de diversas doenças degenerativas. Já conhece os radicais livres? Sabe como pode combatê-los? Então, venha saber tudo isto com o 1001 Dietas.

A alimentação e o exercício físico são, atualmente, não só uma moda como também uma necessidade. As pessoas querem garantir, nos dias de hoje, que a obesidade não é um peso para toda a vida e que conquistam cada objetivo de uma forma equilibrada e boa para a saúde.

O papel da sexualidade para a vida saudável, as atitudes a evitar neste processo e os melhores alimentos e dietas para acompanhar o mesmo são, então, parte do questionamento de quem deseja integrar a chamada Geração Fit.

Muitas das dietas da atualidade apresentam alimentos onde um dos principais benefícios é a sua ação antioxidante, o decorrente combate aos radicais livres e a redução do stress oxidativo.

Mas, afinal, o que são estes radicais livres? E por que razão são os seus efeitos tão nocivos para o corpo humano?

Se estas perguntas são também suas, não deixe de ler mais sobre os radicai livres e a melhor forma de os combater.

radicais livres

1. O que são os radicais livres?

Os radicais livres podem ser descritos como moléculas instáveis, que possuem um electrão e costumam associar-se, com rapidez, às moléculas de carga positiva. Uma vez ligados a estas, os radicais livres podem gerar uma reação ou oxidação.

A produção celular dos radicais livres é realizada mediante a queima do oxigénio, processo que garante a transformação dos nutrientes ingeridos na energia necessária para o funcionamento do nosso organismo.

Além dos processos orgânicos que levam à formação dos radicais livres, no entanto, existem também outros fatores que contribuem para o seu aparecimento, incluindo fatores externos, presentes de forma inevitável no nosso quotidiano.

O excesso de radicais livres no organismo pode ter efeitos muito nocivos sobre a saúde humana.

Serão os radicais livres nocivos para o organismo humano?

Os radicais livres existem naturalmente no nosso organismo e, dentro dos índices regulares, estes não são perigosos para a saúde. Ainda assim, quando em excesso, estes podem ser muito nocivos, promovendo o stress oxidativo.

Esta situação é responsável pela alteração do ADN, dos lípidos e das proteínas e pode gerar várias doenças degenerativas.

Causas do excesso de radicais livres no corpo

Existem várias causas potenciais para o desequilíbrio orgânico de antioxidantes e radicais livres, que levam ao excesso destes últimos no corpo humano. Entre eles:

– Excesso de exposição à radiação solar;
– Consumo de alimentos pouco saudáveis (fritos, açucarados, processados);
– Consumo de alimentos e bebidas com resíduos tóxicos e/ou outras substâncias (hormonas, conservantes, pesticidas, etc);
– Consumo de drogas, tabaco ou bebidas alcoólicas em excesso;
– Prática excessiva de exercício físico;
– Sedentarismo e exposição excessiva a aparelhos eletrónicos.
– Ansiedade e stress quotidiano;
– Poluição.

Quais os malefícios que os radicais livres podem ter no organismo?

Alguns dos malefícios deste desequilíbrio no nosso organismo, gerado pelo excesso de radicais livres, são:

– Problemas de tensão arterial;
– Doenças neurodegenerativas (Alzheimer, Parkinson);
– Doenças cancerígenas;
– Problemas oculares degenerativos (cataratas);
– Doenças cardiovasculares;
– Sinais de envelhecimento precoce;
– Problemas nos ossos e articulações (artrite, osteoporose);
– Sensação de fadiga e cansaço.

2. O papel dos antioxidantes no combate aos radicais livres

O próprio corpo tem a capacidade de se defender do excesso de radicais livres, promovendo estratégias antioxidantes que ajudam as células a gerir a toxicidade dos mesmos. Ainda assim, devido à exposição cada vez mais elevada a elementos tóxicos (nomeadamente devido às práticas quotidianas, aos químicos ingeridos e à própria poluição das nossas cidades) é comum que os radicais livres se formem em excesso, ultrapassando a capacidade antioxidante das nossas células.

Este excesso, que é conhecido como stress oxidativo, provoca um desequilíbrio orgânico prejudicial às células, o que torna importante que se dê, através de alimentação ou de suplementação, um aporte extra de compostos antioxidantes, que ajude o organismo na tarefa de combater os radicais livres.

Essenciais para fortalecer o sistema imunitário, os agentes antioxidantes irão neutralizar o excesso de radicais livres no organismo e evitar, assim, o stress oxidativo. Esta ação antioxidante promoverá a prevenção de várias doenças e também do envelhecimento precoce.

Assim, o combate aos radicais livres pode ser feito através da ação antioxidante de nutrientes como a vitamina A, as vitaminas do complexo B (como a B1, B6, B9 ou B12), a vitamina C, a vitamina D, a vitamina E, o ácido lipóico, a colina, o zinco, o selénio, o magnésio, o cobre, o potássio ou os bioflavonóides.

3. Como combater os radicais livres?

Os radicais livres podem ser combatidos através de uma alteração alimentar e de estilo de vida.

Muito ancorada na própria ideologia da Era Fit, o combate dos radicais livres passa, pois, pela prática de uma alimentação saudável, da redução de práticas nocivas para o organismo e da manutenção de uma rotina de atividade física.

A integração de alimentos adequados, com uma ação antioxidante; aliada à realização de exercício físico e à moderação no que diz respeito a momentos de exposição solar e a práticas como beber ou fumar será muito importante para evitar que exista um excesso de radicais livres no corpo e que estes ajam de forma nociva no nosso corpo.

Além da alimentação, também os suplementos de antioxidantes podem ser úteis para combater os radicais livres.

10 alimentos antioxidantes que ajudam a combater os radicais livres

Alguns dos alimentos com propriedades antioxidantes e que, como tal, podem ajudar no combate aos radicais livres são:

1. Legumes (couve-flor, cenoura, espinafres);
2. Batata e batata-doce;
3. Frutos (laranja, morango, kiwi, abacate, manga);
4. Carne vermelha e fígado;
5. Lacticínios (leite, queijo, manteiga)
6. Frutos secos (amêndoas, avelãs)
7. Cereais (cevada, gérmen de trigo)
8. Peixes e mariscos (salmão, sardinha, bacalhau, ostras);
9. Ovos
10. Chás (chá verde, chá preto, chá vermelho).

Sabia o que são os radicais livres? E sabia quais os alimentos a integrar na sua rotina alimentar para poder combatê-los? Partilhe a sua opinião com os restantes leitores do 1001 Dietas.

Algumas fontes: livescience ncbi.nlm.nih inatel ecycle rice vidaativa

4

Sem Comentários

Escreva um comentário