stress engorda

O stress engorda, conheça as razões

O stress engorda. Esta é uma ideia algo consensual e que muito se ouve nos nossos dias. É também uma ideia que deixa em aberto a questão: Mas porque é que o stress engorda? Se quer saber a resposta a esta questão, venha com o 1001 Dietas conhecer as razões pelas quais o stress engorda.

Nota prévia: A palavra “stress” é de origem inglesa. Enquanto em Portugal se utiliza o estrangeirismo e, como tal, a sua versão original; no Brasil existe a tendência para utilizar a palavra “estresse“, um aportuguesamento da versão anglófona da palavra. Optámos, neste artigo, pela variante inglesa, embora ambas estejam corretas.

Falar do ritmo de vida atual implica falar de muitas questões que impactam diretamente na forma como gerimos a nossa alimentação e a rotina de exercício físico.

No mundo do desporto, por exemplo, o “boom” dos personal trainers ou a tendência da corrida na geração millenials com as apps de running são bons exemplos da evolução dos tempos.

Por outro lado, o lado mais negro desta evolução está patente, também, em variados aspetos. Inovações tecnológicas que nos tornam cada vez mais sedentários; cadeias de fast-food que minam, cada vez mais, o desejo da alimentação saudável e levam à obesidade; momentos de stress intenso promovidos pela azáfama quotidiana.

Viver no século XXI com o desejo de ser saudável e de ter um corpo elegante não é, de facto, simples. E as dietas da moda, que prometem dar resposta às necessidades da geração fit, nem sempre cumprem o prometido.

Um dos inimigos do corpo fit é, sem dúvida, o stress. E, hoje, iremos questionar o papel que o stress tem no nosso quotidiano e na nossa saúde. Já ouviu dizer que o stress engorda? É mesmo verdade! Venha saber como e porquê com o artigo que se segue e aproveite as nossas sugestões para uma vida menos stressante e mais sadia.

1. O stress na atualidade: o que é e porque acontece?

Os dias de hoje estão repletos de desafios. Com poucas horas de descanso, lançados para o trânsito matinal, passando pela ansiedade e azáfama laboral e chegando até à (nem sempre simples) tarefa de lidar com a vida familiar; acabamos por conhecer a presença regular de um inimigo da saúde: o stress.

O stress pode ser descrito como uma resposta do nosso organismo face a estímulos externos negativos.

Este afeta-nos fisica e emocionalmente, podendo gerar diversos tipos de problemas, entre os quais se destacam os casos de tristeza, ansiedade, depressão, doenças do sono, problemas imunitários e o aumento de peso.

Existem fundamentalmente dois tipos de stress. O stress crónico é aquele em que deriva de situações prolongadas, como problemas num relacionamento ou no meio de trabalho. O stress repentino acontece quando uma situação esporádica ou única despoleta maiores índices de ansiedade (por exemplo, ter sofrido um ataque ou ter sido assaltado).

Quais os principais sintomas de stress?

Existem vários sinais de stress, que se manifestam no nosso bem-estar e na nossa saúde. Entre os principais podemos destacar:

– Problemas de sono (insónias, sono agitado);
– Aparecimento de alergias e manchas cutâneas;
– Aparecimento de problemas gástricos e instestinais;
– Manifestação de úlceras;
– Cansaço e fadiga extremas;
– Sinais depressivos;
– Queda de cabelo;
– Aumento da tensão nos músculos;
– Sistema imunitário debilitado;
– Sensação de fome e compulsão alimentar;
– Dores de cabeça e tonturas.

2. O stress engorda? stress engorda

Dizer que o stress engorda não está errado, embora o stress seja, na verdade, apenas o estímulo que gera as respostas orgânicas que promovem o ganho de peso.

Existem várias razões para se dizer que o stress engorda. Para começar, como seria expectável, as escolhas alimentares. O stress faz com que a preocupação das pessoas seja mais para com a sensação de prazer imediato do que para com a saúde efetiva do corpo. Então, usualmente, perante o stress, as escolhas alimentares passam mais por alimentos de conforto (como pão, doces, chocolates, fast-food, etc), do que pelos legumes ou as frutas que ajudam a emagrecer.

A alteração na alimentação, no entanto, não se deve apenas à necessidade de conforto e prazer imediatos. O próprio corpo tem, segundo demonstram os estudos, uma reação ao stress que promove uma sensação de fome mais intensa.

O processo acontece como uma resposta natural ao stress e é de origem hormonal. Perante os estímulos, o corpo liberta adrenalina, sendo esta responsável pelo aumento dos batimentos cardíacos e por uma maior libertação de gordura e de glicose.

Isto corresponde a um maior fornecimento energético ao corpo que culmina com a libertação de cortisol por parte das glândulas supra-renais. E o cortisol, por sua vez, cria a sensação de fome, por assumir que a energia libertada foi gasta (mesmo que não o tenha sido) e deve ser reposta.

Além disto, o cortisol age como elemento fundamental para o armazenamento de calorias, na forma de gordura, para garantir o suprimento energético do corpo.

Ora, quando este processo decorre sem que a energia tenha efetivamente sido gasta, o que acontece é um aumento de peso, da gordura visceral e da gordura localizada.

Quais as causas do aumento de peso devido ao stress?

Os estudos realizados afirmam que o aumento de peso devido ao stress tem, na verdade, várias causas. Entre as principais:

Privação do sono e insónias

Um estudo realizado em Londres na Kings’s College concluiu que a falta de sono pode levar a um consumo bastante superior de calorias ao longo do dia. A privação de sono irá ainda desacelerar todo o processo metabólico.

Metabolismo lento

A libertação de cortisol que acima explicámos terá um impacto também no metabolismo, tornando-o mais lento. Assim, será mais difícil conseguir ver resultados, mesmo perante uma dieta equilibrada.

Desejos e compulsão alimentar

O stress cria desejo pelas chamadas comidas de conforto, onde se incluem os doces, os alimentos gordurosos, os alimentos salgados e os hidratos de carbono. Estes alimentos irão promover o ganho de peso.

Índice glicémico

A quantidade de açúcar no sangue é afetada pelo stress e, à medida que estes níveis se alteram, sintomas como cansaço, fadiga e alterações de humor tornam-se recorrentes. Doenças como a diabetes podem surgir derivados do stress excessivo.

Fome emocional

A fome emocional +e outra das realidades do stress. A quantidade de cortisol no organismo irá promover uma sensação de fome mais regular e fazer com que o organismo deseje alimentos processados e calóricos mesmo quando a sensação de fome não existe.

Ausência de tempo e desejo de praticar exercício

O stress decorre, muitas vezes, do ritmo alucinante dos nossos dias e que nos deixa com pouco tempo para a prática de exercício. Uma vez em stress, o próprio impulso para a realização destas atividades acaba também por diminuir. O sedentarismo que disto resulta é, também, responsável pelo ganho de peso.

3. Sabendo que o stress engorda, é possível prevenir esta situação?

O stress engorda e a prevenção deste ganho indesejado de peso passa pela prevenção do próprio stress.

Assim, recomendamos que:

– Tente descansar mais e durma pelo menos 7 horas por noite;
– Mantenha uma rotina de exercício físico (mesmo que não lhe apeteça);
– Faça uma alimentação mais saudável e regrada;
– Hidrate o seu corpo;
– Garanta tempo para si, para relaxar e fazer atividades que lhe agradem.

Alguma vez sentiu que o stress engorda? Passou por uma situação de ganho de peso por causa do stress? Conte aos restantes leitores do 1001 Dietas como geriu esta situação.

Algumas fontes: verywellmind bbc nit psychologytoday noticiasaominuto vidaativa

6

Sem Comentários

Escreva um comentário