emagrecer depois dos 50 anos

8 dicas para emagrecer depois dos 50 anos

Emagrecer depois dos 50 anos é difícil. À tendência natural para engordar soma-se, nesta idade, um metabolismo mais lento e, para as mulheres, as alterações físicas provocadas pelas mudanças hormonais típicas da menopausa. Ainda assim, emagrecer depois dos 50 anos não é impossível.

Venha conhecer 8 dicas úteis com o 1001 Dietas. 

Com o passar do tempo, torna-se mais difícil perder peso. A tendência, como podemos constatar com a mera observação do mundo que nos envolve, é para que homens e mulheres tendam a engordar à medida que envelhecem. 

Este constrangimento é real para ambos os sexos e é comum ouvir dizer, até, que nestas idades, a gordura localizada é impossível de perder.

Nas mulheres, a passagem por fases da vida como a gestação ou a menopausa, torna a perda de peso ainda mais desafiante. Na verdade, as próprias estatísticas científicas apontam para que sejam justamente as mulheres a sentir mais os efeitos do ganho de peso e da dificuldade na perda do mesmo. 

O facto é que, depois dos 30 anos, o metabolismo humano fica mais lento. Reduzindo, o metabolismo basal pode fazer com que, mesmo sem alterações na dieta ou excessos alimentares, o peso aumente, assim como a acumulação de gordura em regiões específicas do corpo. 

Embora se possa sentir que o próprio corpo está contra os nossos objetivos de perda de peso, no entanto, a verdade é que emagrecer depois dos 50 anos não é impossível. Na verdade, tanto por questões de imagem (e autoimagem) como por questões relacionadas com a saúde, é importante contrariar esta tendência e garantir que o sobrepeso e a obesidade não é um peso para toda a vida

Hoje, levamos até si 8 dicas para emagrecer depois dos 50 anos. Venha conhecer estas dicas com o 1001 Dietas. 

emagrecer depois dos 50 anos

1. Dicas para emagrecer depois dos 50 anos: aposte nos alimentos certos

A alimentação correta pode ajudar a garantir um corpo saudável e com o aspeto que tanto deseja. Além de ser correta uma aposta em vegetais e alimentos ricos em fibras, será ainda recomendável que escolha os melhores aliados da perda de peso. 

Alguns alimentos, como a pimenta, o gengibre ou a canela serão fortes aliados no momento de o ajudar a perder peso. Com uma riqueza nutricional fantástica, estes alimentos contribuirão para fornecer minerais e vitaminas importantes para o bom funcionamento do organismo, ao mesmo tempo que promovem o bem-estar, regulam o seu sistema digestivo, evitam a acumulação de gordura, agem como termogénicos e reduzem os seus índices glicémicos. 

2. Faça exercício físico

A prática de atividades físicas é especialmente importante depois dos 50 anos, especialmente se já estiver na fase da reforma. 

A tendência para o sedentarismo após a meia idade é um dos principais fatores a contribuir para o ganho de peso. 

Contrariar a vontade de ficar no sofá a ver televisão impera. O exercício físico, depois dos 50 anos, principalmente para as mulheres em fase pós-menopausa, deve incluir exercícios aeróbicos, exercícios de força (como, por exemplo, HIIT e musculação) e exercícios de equilíbrio (como por exemplo, treinos de flexibilidade). (1

Para quem não conseguir fazer este tipo de exercício mais intenso, recomenda-se, pelo menos, a prática semanal de caminhadas (no mínimo 30 minutos, 3 vezes por semana). Esta prática irá ajudar a evitar o ganho de peso e melhorará a saúde global do corpo. 

3. Não se deixe levar por dietas restritivas

Sabemos que as dietas da moda são apelativas. A promessa de resultados rápidos, de dietas como a dieta japonesa pode parecer extremamente aliciante para quem deseja ver alterações no seu corpo. 

Ainda assim, para emagrecer depois dos 50 anos, recomendamos fortemente que não se deixe levar pelas dietas restritivas. Ao longo do tempo, as dietas restritivas podem resultar em verdadeiros efeitos sanfona e não terão qualquer benefício para a sua saúde. (2

Em vez destas dietas, procure fazer uma reeducação alimentar, criando hábitos alimentares saudáveis, com um menu variado e nutritivo. A dieta mediterrânica é um bom exemplo deste tipo de dieta. 

4. Dicas para emagrecer depois dos 50 anos: hidrate o corpo

Água e chás são elementos que deve incluir na sua rotina alimentar. A ingestão de líquidos, que é fundamental ao longo de toda a vida, torna-se também importante para quem deseja emagrecer depois dos 50 anos. 

Repor os líquidos gastos pelo seu corpo é fundamental, não só para o ajudar a perder peso, mas para garantir o funcionamento orgânico. 
Recomenda-se que beba, diariamente, pelo menos um litro e meio de água.

Entre os melhores chás para emagrecer, encontram-se o chá verde, o chá de cavalinha e o chá de hibisco

5. Faça exames hormonais regularmente

Por mais que tente fugir-se das evidências, a inevitável verdade é que as alterações hormonais sentidas pelo corpo com o avançar da idade são, também, responsáveis pelo aumento de peso. 

As mulheres sentem claramente estas alterações depois da menopausa e sabem bem que o próprio desequilíbrio hormonal pode contribuir para o aumento dos números da balança. (3

A consulta de especialistas e o controlo hormonal, através de exames médicos, torna-se fundamental para garantir que é feita uma regulação hormonal que contribua para a sua boa saúde e também para a perda de peso. 

6. Escolha bem os seus hidratos de carbono

Idealmente, depois dos 50 anos, o consumo de hidratos de carbono deve ser reduzido. Algumas pessoas optam, inclusivamente, por remover os alimentos mais ricos em hidratos de carbono da sua alimentação. 

Se faz parte do grupo (alargado) de pessoas que não consegue fazer um corte com os hidratos, não se preocupe. Há algo que pode fazer! No momento de escolher os alimentos que compõem o seu prato, opte pelos hidratos de carbono certos, como é o caso da massa ou do arroz integral.

Substitua o pão branco pelo pão de sementes e cereais. 
Estes hidratos de carbono serão ideais para fornecer energia ao seu corpo, ao mesmo tempo que melhoram o seu metabolismo basal. 

7. Faça do sono regular prioridade

Pode parecer-lhe um conselho inusual mas a verdade é que dormir para perder peso é efetivamente importante. 

A privação do sono pode estimular as hormonas responsáveis pela sensação de fome (a grelina e a leptina), levando a que coma mais ao longo do dia e a que sinta mais vontade pelos “alimentos proibidos” e de conforto. (4

Garantir que dorme o suficiente irá ajudar a perder peso, garantindo que acorda com mais energia, com uma maior sensação de bem-estar e que sente menos fome. 

8. Dicas para emagrecer depois dos 50 anos: Combata o stress 

Não é novidade que o stress engorda. Vários estudos têm demonstrado que, quando a ansiedade adensa, o corpo promove uma maior libertação de cortisol, o que leva a um aumento da massa corporal. 

Além de provocar cenários de compulsão alimentar, já que existe a tendência de buscar conforto nos alimentos menos saudáveis, o stress irá, assim, ser responsável pelo aparecimento de mais gordura localizada. (5

Já conhecia todas estas dicas para emagrecer depois dos 50 anos? Qual o conselho que deixaria aos leitores do 1001 Dietas nesta faixa etária? Deixe-nos a sua opinião. 

Poderá ter interesse também em:

10 benefícios do bicarbonato de sódio para a saúde

23

Sem Comentários

Escreva um comentário