demência

Propensão genética para a demência: Conheça 10 alimentos que previnem a doença

Os alimentos que previnem a demência podem ajudar-nos a evitar que esta doença se manifeste ou, pelo menos, retardá-la. Se tem propensão genética para a demência e não sabe quais são os seus aliados alimentares, venha com o 1001 Dietas conhecer os 10 alimentos que previnem a demência. 

Os cuidados com a alimentação e o exercício físico são muito importantes para a nossa saúde. Ao longo da vida, garantir uma nutrição correta e manter-se ativo terá, certamente, vantagens para o seu corpo, o seu estado de espírito e a sua forma. 

demência

Ainda assim, algo que o acompanhará sempre, é o histórico clínico familiar.

E, se formos honestos, sabemos: a propensão para os elevados níveis de colesterol, para a obesidade e até para doenças como o cancro, o Alzheimer ou a demência têm, também, uma componente hereditária. 

Esta é a razão pela qual as pessoas que perderam familiares para a demência temem que, com o avanço da idade, o mesmo possa acontecer-lhes. 

Não existem, evidentemente, fórmulas mágicas para impedir o aparecimento deste tipo de doença. Ainda assim, ao assumir a propensão genética para a doença, poderá manter-se mais acompanhado a nível clínico e também adaptar a sua alimentação para servir os seus interesses e prevenir o aparecimento (ou o aparecimento precoce) desta doença. 

Hoje olhamos para alguns dos alimentos que devem integrar o cardápio de quem tem propensão genética para a doença. Venha conhecer 10 alimentos que previnem esta doença. 

Fritar com azeite ou óleo

1. Alimentos que previnem a demência: Azeite

O azeite é rico em ómega 3, ómega 6 e polifenóis. Pela sua riqueza em ácidos gordos essenciais e pela sua ação antioxidante no organismo, este alimento contribui para o combate aos radicais livres e para a conduzir os impulsos nervosos. (1

Desta forma, o consumo de azeite ajuda a melhorar a comunicação neuronal e promove um cérebro mais saudável. A presença da vitamina E no azeite é, também, aliada da saúde cerebral, integrando as membranas celulares das células neuronais 

frutos secos

2. Frutos secos

Tal como o azeite, também os frutos secos são uma boa fonte de vitamina E e de ácidos gordos essenciais (principalmente de ómega 3). 

Alimentos como as nozes e as amêndoas podem, por isso, contribuir para melhorar o funcionamento neuronal e a sua comunicação. 

Além de melhorar as ligações entre os neurónios, a ação anti-inflamatória dos óleos essenciais pode ajudar a combater o declínio na cognição, estimulando a proteção da membrana que protege os neurónios (a bainha de mielina). 

3. Vegetais de folha verde

Espinafres, alface, couve e agrião são alguns exemplos de alimentos que deve integrar na sua rotina alimentar caso tenha propensão genética para a demência. 

Estudos realizados relacionaram o consumo de vegetais de folha verde escura e o retardar do envelhecimento cerebral. (2

A ação destes alimentos prende-se, segundo referem os resultados científicos obtidos, à presença de fortes antioxidantes e de vitamina C, que protegem o cérebro e as células neuronais do stress oxidativo promovido pelos radicais livres. 

4. Salmão

Um dos benefícios do salmão é a forma como este contribui para prevenir a demência. Rico em ómega 3 e em vitamina D, este alimento contribui fortemente para a manutenção da saúde cerebral. 

A vitamina D presente no salmão promove um melhor desempenho ao nível cognitivo, ao mesmo tempo que o ómega 3 ajuda a proteger as membranas celulares neuronais e retarda o envelhecimento cerebral. 

Assim, o consumo de salmão pode atrasar um eventual declínio cognitivo e ajudar a prevenir a demência. 

benefícios dos frutos vermelhos para a saúde

5. Alimentos que previnem a demência: Frutos vermelhos

O consumo de frutos vermelhos tem muitos benefícios e, um deles, é ser um dos alimentos que previnem a demência. (3

Ricos em vitaminas e minerais, os frutos vermelhos agem como antioxidantes naturais, combatendo os radicais livres e retardando os sinais de envelhecimento precoce. 

Esta ação previne o stress oxidativo neuronal, o que faz com que quadros degenerativos, como o Alzheimer ou a demência sejam prevenidos. 

ovos

6. Ovos

Os ovos são ricos em selénio, sendo este nutriente, também, importante para proteger os neurónios do stress oxidativo. 

O seu forte poder antioxidante faz com que o consumo de ovos ajude a minorar o risco de doenças degenerativas cerebrais, como a demência. 

Assim, uma pessoa com propensão genética para a demência terá vantagem em incluir os ovos na rotina alimentar. 

7. Bacalhau

O bacalhau é um dos peixes mais consumidos em Portugal e levanta questões quanto ao seu consumo, sendo frequente que se perguntem, em algumas fases, questões como quais os pratos de bacalhau que a grávida pode comer

Se a demência é o problema que quer combater ou prevenir, no entanto, não existe dúvida: o bacalhau é uma boa adição na sua dieta. 

Sendo um peixe rico em selénio, este irá, tal como os ovos, contribuir para retardar a demência ou até para evitar a sua progressão depois de ter sido diagnosticada. 

canela emagrece

8. Café

Muitas coisas se dizem sobre o café. Desde a relação indesejada entre grávida e café, passando pela noção de que o café emagrece, a verdade é que esta poderosa bebida está, muitas vezes, no centro das atenções. 

A cafeína presente no café faz dele um aliado de quem tem propensão genética para a demência. O seu consumo regular contribui para estimular o funcionamento cerebral, tendo uma ação estimulante psicoativa. 

Assim, o consumo de café pode melhorar o desempenho cognitivo e contribuir para retardar os sinais de demência. O seu consumo, no entanto, deve ser moderado, já que a dose máxima de cafeína a ingerir diariamente é de 400 mg. 

9. Sementes

Muitas sementes serão, igualmente uma boa adição na dieta de quem tem propensão para a demência. 

Sementes como a chia, as sementes de girassol ou a linhaça ajudarão a manter o desepenho funções congnitivas, contribuindo para a saúde cerebral. (4

vinho tinto engorda

10. Alimentos que previnem a demência: Vinho tinto

vinho tinto tem uma ação antioxidante no nosso organismo e, como tal, podem ajudar a neutralizar e a combater o excesso de radicais livres

Neste processo, o vinho tinto ajudará a evitar o stress oxidativo das células neuronais e contribuirá para prevenir a demência. 

Vale a pena ressaltar, no entanto, que este consumo não deve ser excessivo, já que se trata de uma bebida alcoólica e que, em demasia, pode trazer problemas de saúde. 

Tem histórico clínico familiar de demência? Não deixe de contar aos restantes leitores do 1001 dietas quais os cuidados que mantém para prevenir esta doença. 

Poderá ser interessante também:

8 beneficios da mandioca para a saúde

Sem Comentários

Escreva um comentário