Estudo relaciona atividade física e cancro da mama.

Estudo relaciona atividade física e cancro da mama. Conheça os benefícios.

 O cancro da mama é uma doença bastante comum. Conheça a relação entre a atividade física e o tratamento desta patologia, com o 1001 Dietas.

A procura pela vida saudável tem levado muitas pessoas a adotar novas posturas quanto à alimentação e à rotina de atividade física. Esta mudança faz-se numa época em que também a ciência explora o potencial do exercício como forma de prevenção e tratamento de vários tipos de patologias.

Os efeitos do exercício no cérebro ou mesmo o seu papel na prevenção da osteoporose ou da disfunção eréctil são algumas das temáticas que as pesquisas nacionais e internacionais têm abordado.

Um estudo nacional propôs-se, recentemente, a avaliar os efeitos que o exercício poderia ter numa das doenças mais comuns entre pacientes femininas: o cancro da mama.

Venha saber como a atividade física pode ajudar doentes com esta patologia.

Estudo relaciona atividade física e cancro da mama.

Relação entre exercício e cancro da mama: o estudo

Um estudo que reuniu doentes oncológicas com cancro da mama em fase de tratamento e sobreviventes desta patologia revelou que a prática de exercício físico adequado pode trazer benefícios efetivos, motivando a uma maior eficácia do tratamento e melhorando o processo de recuperação.

Este estudo, desenvolvido no Serviço de Oncologia do Hospital de Guimarães, nasceu como um projeto de doutoramento em Ciências do Desporto da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD). 

Para a concretização do mesmo, as voluntárias que constituíam a amostra praticaram exercício adaptado (maioritariamente treino aeróbio e treino de força em isometria, com intensidade moderada), em aulas acompanhadas, permitindo a análise entre a atividade física e a sua recuperação. (1)

Os benefícios do exercício em doentes oncológicos

No que diz respeito ao cancro da mama, este estudo concluiu que as mulheres mastectomizadas recuperavam com maior facilidade a funcionalidade do ombro e melhoravam globalmente a sua capacidade física e mobilidade. (2)

Melhorias ao nível da sensação de fadiga e cansaço foram também analisadas, sendo que o papel deste tipo de atividade foi ainda manifesto em termos psicológicos.

O papel do exercício na prevenção e tratamento de doenças cancerígenas, no entanto, não é novo. Várias pesquisas apontavam, já, para o potencial do exercício como forma de melhorar a qualidade de vida dos pacientes com este tipo de patologia e também a forma como estes encaram a doença. (3)

O papel do exercício está também a ser estudado como um potencial aliado, neste tipo de situação, para reduzir as dores associadas à doença e melhorar o sistema imunitário dos pacientes oncológicos.

Conhece alguém que sofra de uma doença cancerígena? Então, não deixe de partilhar este artigo do 1001 Dietas com essa pessoa para que saiba como o exercício pode ajudá-la neste momento difícil.

20

No Responses

Write a response