consumo insuficiente de água

7 manifestações físicas do consumo insuficiente de água

A indicação para beber pelo menos 2 litros de água por dia é bem conhecida mas, afinal, o que acontece ao corpo quando o consumo de água é insuficiente? Descubra com o 1001 Dietas.

Há algum tempo atrás já falámos da água e da sua importância para o emagrecimento e até da forma como a dieta da água estava a virar tendência.

A importância deste elemento para o corpo humano é imensa e, em todas as fases da vida, a hidratação é fundamental para garantir a saúde, já que esta é responsável pela correta concretização de muitas das funções corporais.

Como sabe, 70% do corpo humano é água e, embora as necessidades efetivas dependam de vários fatores e variem consoante o indivíduo, a verdade é que se estima que, em média, se deva consumir cerca de 2 litros diários deste líquido.

Numa fase onde a ideologia fit marca o pensamento e todos desejam conquistar um corpo saudável, torna-se, por isso, imensamente importante compreender o que acontece quando o consumo de água é insuficiente.
Venha saber quais as manifestações físicas para quem bebe pouca água.

consumo insuficiente de água

1. Espessamento sanguíneo e esforço cardíaco

Quando bebe pouca água, a produção de plasma sanguíneo – substância onde circulam as proteínas, os sais minerais, o gás carbônico e outros, dissolvidos em água – é menor, havendo uma diminuição no volume plásmico.

Com este processo, o sangue torna-se mais espesso e contém uma maior quantidade de sódio.

Devido à densidade do sangue, o coração terá um maior esforço para bombear uma igual quantidade de sangue, o que tem um impacto negativo para o órgão e o funcionamento do organismo em geral.

2. Privação de oxigénio

Ainda derivado do espessamento do sangue, o aporte de oxigénio aos órgãos poderá ser menor.

Além de afetar as funções cerebrais, esta situação pode fazer com que as pessoas tenham uma maior tendência para sentirem tonturas ou mesmo para desmaiar.

3. Propensão para as cefaleias

A pressão sanguínea também afeta diretamente o cérebro, podendo ser responsável pelo aparecimento de cefaleias derivadas da desidratação.

Na verdade, trata-se de algo semelhante à desidratação provocada pelo consumo de bebidas alcoólicas que, muitas vezes, degenera no que conhecemos como dores de cabeça por “ressaca”.(1)

4. Sobreaquecimento corporal

O aumento da temperatura do corpo também pode ser uma resposta deste à desidratação.

Quando bebemos água insuficiente, produzimos menos suor, sendo que o suor é, como sabe, o elemento responsável pela redução térmica do corpo.

5. Mau funcionamento intestinal

O pouco consumo de água afeta profundamente o funcionamento do sistema digestivo e, principalmente, dos intestinos.
Quando o consumo de água é insuficiente é comum que se sofra de problemas de obstipação. (2)

6. Ressecamento da pele

Com menos suor e um baixo consumo de água, uma das queixas comuns é que a pele começa a repuxar.
Este processo, que impede a desejada pele radiante, pode acontecer em qualquer tipo de pele e significa que a pele está desidratada.

7. Problemas renais

Com o pouco consumo de água, os rins também tendem a entrar em esforço, o que gera problemas renais.
Os problemas mais comuns devido à desidratação são as infeções urinárias e a pedra nos rins. (3)

Alguma vez teve algum problema derivado do pouco consumo de água? Conte a sua experiência aos restantes leitores do 1001 Dietas.

9

No Responses

Write a response