Venha saber mais sobre os novos estudos em torno desta temática e até que ponto a genética influencia o nosso peso

Como a genética influencia o peso

A relação entre o peso e a genética tem, cada vez mais, um reforço científico e alguns estudos recentes, baseados em gémeos (verdadeiros e falsos) serviram para comprovar uma relação entre os genes e a variação de peso. Venha com o 1001 Dietas saber como a genética influencia o peso.

As inovações e as novas descobertas científicas têm vindo a alterar, ao longo do tempo, a forma como encaramos as dietas, a alimentação e os resultados efetivos que estas têm nos nossos corpos.

Ao mesmo tempo que nos deparamos com novas dietas, como a dieta sirtfood ou a dieta do tipo sanguíneo; deixamos também que o digital entre na nossa vida e começamos a recorrer a aplicações digitais que ajudam a controlar o peso ou a personal trainers virtuais.
Uma descoberta algo recente e que tem gerado alguma polémica diz respeito ao papel dos genes na nossa variação de peso.

Venha saber mais sobre os novos estudos em torno desta temática e até que ponto a genética influencia o nosso peso.

Os estudos genéticos e a relação entre genes e peso

Provavelmente já notou que, enquanto algumas pessoas afirmam que “até a água engorda”, outras parecem quase imunes a engordar, por mais que comam. A ciência tem olhado para esta questão e concluiu que a imunidade ao ganho de peso pode estar relacionada com um defeito metabólico, que faz com que demasiada energia seja desperdiçada pelo organismo.

Segundo os estudos realizados com base em gémeos idênticos e não idênticos, as variações de peso dependem de fatores genéticos e ambientais, sendo que a própria distribuição de gordura tem uma determinação biológica. (1)

A obesidade está associada, por exemplo, a cerca de 400 genes. Alguns defeitos genéticos ao nível de recetores como o MC4 ou da Leptina podem ter um forte impacto nesta doença. (2)

Ainda que a genética esteja, agora, fortemente associada à variação de peso, a sugestão de que exames genéticos possam ajudar à perda de peso é controversa. Se, por um lado, esta permitiria a distinção das melhores formas para motivar a perda de peso; por outro, os testes atualmente existentes são limitados. Um exemplo disso é que dos 400 genes envolvidos na obesidade, estes poderiam identificar apenas 40.

Dos fatores genéticos ao estilo de vida

É verdade que, como indicam os estudos, a genética tem um peso considerável na evolução do peso de uma pessoa. Ainda assim, também o estilo de vida deve ser considerado na análise do problema. (3)

Perante uma alimentação saudável, uma atividade física regular e um melhor entendimento do impacto genético no peso, poderá ser possível reduzir os números da obesidade do mundo, criando formas personalizadas de dieta, que correspondam às caraterísticas de cada pessoa e melhorando o controlo do peso.

Já conhecia o papel da genética nas variações de peso? Qual é a sua opinião pessoal sobre esta questão? Partilhe os seus pensamentos com os restantes leitores do 1001 Dietas.

3

No Responses

Write a response